PUBLICIDADE

Publicidade

Pacheco defende investimentos com sustentabilidade fiscal após tratar de novo arcabouço com Haddad

Detalhes da nova regra, que irá substituir o teto de gastos, ainda não foram revelados publicamente

Foto do author Iander Porcella
Por Iander Porcella (Broadcast)
Atualização:

BRASÍLIA – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), defendeu que é preciso assegurar os investimentos sem deixar de lado a sustentabilidade das contas públicas. A manifestação do parlamentar foi feita depois de ele se reunir com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para tratar da proposta de novo arcabouço fiscal – que deve ser apresentada pelo governo até o fim da semana.

“Temos de promover uma ampla discussão no Congresso, no sentido de assegurar os investimentos que precisam ser feitos, nas áreas da saúde, da educação, da segurança e da infraestrutura, além dos projetos sociais, mas sem deixar de lado a sustentabilidade das contas públicas”, escreveu Pacheco no Twitter.

Haddad foi até a residência oficial da Presidência do Senado nesta tarde para se reunir com Pacheco. De acordo com o parlamentar, o ministro da Fazenda estava acompanhado do secretário-executivo da pasta, Gabriel Galípolo, e do líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA). Pacheco disse que recebeu as “linhas gerais” da proposta de âncora fiscal para substituir o teto de gastos – regra que limita o crescimento das despesas do governo à variação da inflação.

Os detalhes do arcabouço ainda não são públicos, mas o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, disse hoje que a regra levará em conta uma combinação de curva da dívida pública, superavit primário e controle de gastos.

Fernando Haddad, ministro da Fazenda Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agencia Brasil

PUBLICIDADE

Antes de se reunir com Pacheco, Haddad também foi à residência oficial da Presidência da Câmara para apresentar o arcabouço a Arthur Lira (PP-AL). Também participou da reunião o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE).

Ao sair do local, Guimarães disse à imprensa que Haddad também deve conversar, ainda nesta semana, com líderes partidários para apresentar a regra fiscal que substituirá o teto de gastos. As reuniões com representantes do Congresso foram um pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Haddad, segundo o próprio ministro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.