PUBLICIDADE

Publicidade

Por que James Rodríguez não bateu pênalti na queda do São Paulo; Carpini é cobrado? Entenda

Colombiano já perdeu cobrança decisiva logo após chegada ao clube na Sul-Americana de 2023, mas ele não foi escolhido pelo treinador; torcida pede saída do técnico após dois meses de comando

PUBLICIDADE

Foto do author Leonardo Catto
Atualização:

A eliminação do São Paulo no Campeonato Paulista foi frustrante, com pênaltis perdidos na disputa diante do Novorizontino no MorumBis. Na série, James Rodríguez, uma das referências técnicas da equipe, ficou fora das cinco primeiras cobranças. O técnico Thiago Carpini justificou que a ordem foi definida pela disposição dos atletas. Ele também não bateu na disputa de um contra um, as alternadas.

PUBLICIDADE

A tardia entrada de James no jogo, aos 34 minutos do segundo tempo e com 1 a 1 no placar, ainda tinha intenção de desempatar o jogo antes das penalidades. Confirmado o empate, o meia não chegou a pedir para não bater, mas viu seus companheiros voluntariarem-se antes, segundo o técnico Carpini. Isso inclui o zagueiro Diego Costa, que fechou a série, e foi elogiado pelo treinador mesmo com o erro na cobrança.

“Nós temos um relatório do que trabalhamos na semana com o percentual de aproveitamento de cada um, mas, no dia, a gente também ouve o feedback do atleta, por estar seguro ou não, e temos de levar isso em conta, se o atleta está à vontade ou não para cobrar. Só que outros atletas se manifestaram antes sobre bater e seguimos assim. Gostaria de exaltar a personalidade do Diego, que quis bater. Erramos todos e caímos de pé, convictos com o que foi feito”, justificou Carpini.

Rafael defendeu pênalti de Lucca, mas não foi tão efetivo quanto já demonstrou que consegue. Foto: Mauro Horita/São Paulo F

Lucas Moura, liderança do São Paulo, abriu a disputa e fez o gol. Ele não soube explicar a ausência do colombiano. “Assim que acabou o jogo, falei que bateria o primeiro. Foram feitas as escolhas, não sei por que ele não bateu. O treinador perguntou para quem ia bater. Não sei por que ele não bateu. Mas os jogadores escolhidos estavam preparados, todo mundo treinou”, declarou ainda na zona mista.

Dois pênaltis do São Paulo foram para fora, cobrados pelo meia Michel Araújo e pelo zagueiro Diego Costa. Rafael deu indício de que iria repetir a disputa contra o Palmeiras na Supercopa ao defender a primeira batida do Novorizontino, mas não teve sucesso na sequência. As decisões da comissão técnica do São Paulo, ainda com o jogo correndo, descontentaram a torcida, que fez coro de “burro” na arquibancada para o treinador. No campo, Rafinha fez sinal para que esses gritos parassem.

Carpini, por outro lado, disse compreender a frustração do torcedor. “É só o começo do trabalho. Tivemos dois meses com altos e baixos já. A eliminação é dura, o torcedor fez sua parte, mas não conseguimos o objetivo, que era o de todos nós. As decisões importantes estão apenas começando. Tirando o que ocorreu hoje, não acho que tenhamos um saldo negativo”, avaliou.

A demora no ingresso do colombiano em campo foi um dos motivos que geraram descontentamento. Nas redes sociais, torcedores falaram que “preferiam até mesmo Rogério Ceni” como reinador, demitido em 2023 após desempenho ruim. Carpini chegou ao São Paulo há apenas dois meses. Ele estava no Juventude e assumiu o lugar de Dorival Júnior, chamado pela CBF para o comando da seleção brasileira.

Publicidade

Erro de James na Sul-Americana eliminou São Paulo em 2023

No ano passado, as disputas de pênaltis representaram mais dificuldades do que sucesso para a equipe tricolor. Apenas contra o Sport, nas oitavas de final da Copa do Brasil, o São Paulo se deu bem. Nas outras duas ocasiões, o resultado foi negativo: eliminações para o Água Santa no Paulistão e para a LDU na Sul-Americana.

Nesta última, James Rodríguez já havia chegado ao time. Ele se dispôs a assumir a segunda cobrança, após Calleri, e foi o único que desperdiçou, isolando a bola. Com todos os outros pênaltis convertidos, a disputa terminou 5 a 4 para os equatorianos. Esse episódio poderia ter marcado toda a passagem do colombiano no São Paulo, já que ele quase deixou o clube no começo deste ano. O meia até mesmo deixou de acompanhar a delegação para a disputa da Supercopa. James recuou, pediu desculpas e voltou a fazer parte do time nos jogos. Vale ressaltar que Carpini não escolheu James para bater.

O colombiano estará à disposição de Carpini para o restante da temporada e espera fazer diferença nos torneios que restam ao clube. Após a eliminação, o próximo compromisso são-paulino é pelo Campeonato Brasileiro, diante do Fortaleza, no MorumBis, no dia 13 de abril.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.