Enem 2023: veja 12 possíveis temas da redação deste ano

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio serão aplicadas em 5 e 12 de novembro de 2023; redação tem peso importante na avaliação

PUBLICIDADE

Foto do author Renata Okumura
Por Renata Okumura

Aplicada no primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a redação tem um peso relevante no desempenho final do estudante. Como o tema proposto só é conhecido no momento em que o candidato realiza a prova, as especulações são frequentes, principalmente nos dias que antecedem a realização do exame. Neste ano, as provas serão aplicadas em 5 e 12 de novembro de 2023.

Para ajudar o candidato a se preparar, o Estadão ouviu professores e reuniu os principais temas sugeridos por eles. Questões climáticas, tecnologia e trabalho estão entre os possíveis temas da redação para este ano. Os educadores também orientam como o participante do Enem pode desenvolver um bom texto e alcançar a nota 1.000.

1) O combate à violência de gênero no Brasil

PUBLICIDADE

Eva Nobrega, professora de Língua Portuguesa do Cursinho da Poli, defende este tema. De acordo com a docente, o Brasil continua sendo um dos primeiros do mundo em mortes de mulheres e da comunidade LGBTQIA+.

“Segundo o Grupo Gay da Bahia (GGB), 228 pessoas LGBTQIA+ foram assassinadas em 2022, sendo mais da metade travestis e mulheres trans. A ONG Transgender Europe informou que, mais uma vez – e por 14 anos consecutivos –, o Brasil liderou o ranking mundial de assassinatos de pessoas trans em 2022. De acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), 131 pessoas trans foram mortas no ano passado, a maioria era de travestis e mulheres trans negras”, segundo informações da Organização das Nações Unidas (ONU).

2) A paridade salarial entre homens e mulheres no Brasil: como fazer com que o salário delas seja igual ao deles?

Este também é um questionamento sugerido pela professora de Língua Portuguesa do Cursinho da Poli. Embora a Constituição já proíba todo tipo de discriminação, a desigualdade entre homens e mulheres é uma realidade no mercado de trabalho brasileiro.

Em julho deste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que garante igualdade salarial entre mulheres e homens. Em discurso durante a sanção do projeto de lei, Lula garantiu que haverá punição para quem não cumprir a lei porque há estruturas no governo que garantirão a fiscalização, a exemplo dos Ministérios do Trabalho e das Mulheres, além do Ministério Público.

3) Desafios para a reforma do sistema prisional brasileiro

“Ainda temos prisões análogas às da Idade Média, que pioram com as investidas das várias facções”, afirma a professora Eva. Segundo ela, este é um tema bastante oportuno para a redação do Enem deste ano.

Publicidade

Aplicada no primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a redação tem um peso importante no resultado final do exame. Foto: Werther Santana/Estadão

4) Desafios para o combate ao trabalho análogo à escravidão no Brasil

Para Eva, professora do Cursinho da Poli, há possibilidade de a temática fazer parte da redação deste ano. Ela lembra que 1.443 trabalhadores em situação análoga à escravidão no Brasil foram resgatados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Fiscalização do Trabalho, entre janeiro e 14 de junho de 2023.

“Questões associadas ao trabalho também são uma aposta para o tema de redação, ainda mais após os recorrentes casos de trabalhos análogos à escravidão que vieram à tona”, concorda Julia Ferreira, coordenadora de redação da Redação Nota 1.000, maior plataforma de prática e correção de redações do Brasil.

Além disso, segundo Julia, pontos relacionados à regulamentação do trabalho por aplicativos também podem ser utilizados, posto que ocorreram diversas greves e solicitações por essa parcela de trabalhadores.

5) A questão ambiental na Amazônia: como resolver os desafios em torno do Marco Temporal e a necessidade das populações de habitarem as próprias terras?

A tese do marco temporal é uma proposta de interpretação do artigo 231 da Constituição Federal e trata-se de uma espécie de linha de corte, conforme publicou o Estadão. A partir desse entendimento, que é defendido por ruralistas, uma terra indígena só poderia ser demarcada com a comprovação de que os indígenas estavam no local requerido na data da promulgação da Constituição, ou seja, no dia 5 de outubro de 1988. Quem estivesse fora da área nessa data ou chegasse depois desse dia não teria direito a pedir sua demarcação. Este é um tema que pode cair no Enem, segundo a professora Eva, do Cursinho da Poli.

PUBLICIDADE

Luciana Sales Pires Soares, professora de Língua Portuguesa no Ensino Médio da Carandá Educação, acrescenta, por exemplo, que a seca no Amazonas é outra possível temática para a redação deste ano.

Recentemente, o Estadão mostrou que a superfície da cobertura de água no Estado do Amazonas atingiu sua menor extensão desde 2018, de acordo com nota técnica do MapBiomas, plataforma que reúne universidades, organizações ambientais e empresas de tecnologia. Em setembro foram registrados 3,56 milhões de hectares, uma redução de 1,39 milhão de hectares em relação aos 4,95 milhões de hectares de setembro de 2022.

6) Crise climática

Um assunto que faz-se presente recorrentemente nas manchetes são as catástrofes climáticas, advindas do momento crítico que vivemos no que diz respeito à preservação do meio ambiente.

Publicidade

“Muitas tragédias, como as que ocorreram em Petrópolis em 2022, em São Sebastião, em 2023, e também o que está ocorrendo no Rio Grande do Sul com o ciclone e as fortes chuvas, além da onda de calor intensa, que resultou em São Paulo no registro de 36,5ºC, são alguns dos aspectos que demonstram a relevância da temática. Dado o contexto e a dimensão do tema, é possível que esse seja cobrado na proposta de redação do Enem”, acrescenta a coordenadora de redação da plataforma Redação Nota 1000.

7) Aquecimento global e desigualdade

Na linha sócio-ambiental, a professora Luciana sugere o tema aquecimento global e desigualdade. As consequências provocadas pelas mudanças climáticas podem afetar a sociedade no âmbito ambiental, social e também cultural.

Relatório global divulgado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas (ONU) sobre Mudança do Clima (UNFCCC) divulgado em setembro deste ano apontou que os esforços mundiais não têm sido suficientes para conter o avanço das mudanças climáticas.

8) Tecnologia, sobretudo Inteligência artificial, associada a comportamento social

Segundo a professora Julia, um possível tema para o Enem é a tecnologia, principalmente o uso de inteligência artificial, posto que o assunto está em alta devido ao uso de ferramentas como o Chat GPT.

“No entanto, é importante ter em mente que o Enem cobra assuntos concretos, isto é, que podem ser solucionados por meio de um agente público ou que afetem diretamente a sociedade brasileira. Sendo assim, é importante pensar em uma associação entre IA e problemas sociais, como a sua regulamentação”, acrescenta a professora Julia.

Nesta linha, Luciana, professora de Língua Portuguesa no Ensino Médio da Carandá Educação, também acredita que o investimento em Ciência e Tecnologia é um tema de alta cotação para a prova.

9) Infância

Nos últimos anos, o Enem não cobrou muitas questões associadas à infância, sendo que os últimos temas que englobam esse assunto foram no PPL - exame específico para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL) ou sob medidas socioeducativas que já concluíram o ensino médio.

No Enem PPL 2019, o tema foi “Combate ao uso indiscriminado das tecnologias digitais de informação por crianças”. No Enem regular, em 2014, a proposta temática apresentada foi “Publicidade infantil em questão no Brasil”.

“Isso indica que o tópico pode vir a ser a temática da proposta de redação deste ano, sobretudo devido aos resultados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, indicando que, em 2022, houve um aumento significativo de violência contra crianças e adolescentes”, sugere a professora Julia.

10) Racismo no esporte

O episódio vivenciado pelo jogador Vinícius Júnior, em maio deste ano na Espanha, movimentou a mídia para abordar um tema que é, infelizmente, recorrente e estrutural no País: o racismo.

“Apesar da ocorrência ter suscitado o debate sobre o tema, o crime não se limita ao ocorrido na Espanha, haja vista que o próprio jogador Vini Jr. já sofreu outros atos racistas no Real Madrid, mas também no Brasil, quando jogava no Flamengo. Sendo assim, pode-se esperar uma proposta que englobe como o racismo opera no meio esportivo e como mitigar essa problemática”, acrescenta a professora Julia.

11) Lei de Cotas para Quilombolas

O Senado aprovou nesta terça-feira, 24, em uma votação simbólica (sem contagem de votos) a reformulação da Lei de Cotas no ensino federal. A revisão da lei, que foi aprovada em 2012, estava prevista para ocorrer no ano passado, mas acabou ficando para 2023. A proposta inclui quilombolas no sistema de cotas para ingresso nas universidades públicas. Este é um tema sugerido pela professora Luciana, da Carandá Educação.

12) Mulheres na política

Apesar de avanços significativos nos últimos anos, o retrato da mulher no ambiente político nacional ainda é de busca por mais representatividade nos espaços de poder, conforme mostrou matéria do Estadão publicada em março deste ano.

Nas últimas eleições, o País consolidou um número recorde de mulheres no Senado, somando 15 parlamentares, mas ainda longe da metade do total de 81 cadeiras. Na Câmara, as deputadas representam apenas 18% das 513 vagas, mesmo com o aumento de 41% nas candidaturas nas eleições de 2018 para 2022. A professora Luciana também defende este tema como propício para o Enem.

“O Enem trata de minorias e problemas brasileiros. Então, todos os temas que se relacionem aos problemas brasileiros, sejam as queimadas, secas ou problemas quilombolas, podem ser tema para o Enem”, acrescenta Maura Böttcher, doutora em Letras pela USP e professora de redação do Colégio Magno/Mágico de Oz.

Publicidade

Para a professora Maura, é bem sucedido na redação quem consegue contextualizar o problema. “Além de mostrar que leu, compreendeu e sabe selecionar dados da coletânea para se posicionar, o candidato precisa promover acréscimos significativos do contexto político-econômico,de base teórica e de dados concretos. o aluno precisa mostrar a coerência e a coesão. Ou seja, apresentar um texto que revele a competência de estabelecer relações e trazer um raciocínio em que as palavras e a ideias se articulem”, orienta a professora.

Dicas para tirar nota 1000 na redação:

  • Ler atentamente a proposta de redação, identificando os pontos-chaves do tema e o direcionamento dado nos textos motivadores.
  • Realizar um projeto de texto, isso é, a partir do seu posicionamento diante da temática proposta, elaborar quais serão os argumentos usados para defender o seu ponto de vista e quais os repertórios que você tem em mente e como usá-los de modo a corroborar a sua defesa.
  • Não esquecer de fazer uma proposta de intervenção para as causas do problema apontado na introdução.
  • Iniciar o texto com uma alusão à literatura ou às artes (cinema, pintura, séries, etc) potencializa a escrita. No entanto, as referências precisam ser pertinentes ao texto e produtivas.
  • Empregar elementos e estratégias coesivas ao longo da redação, sempre se atentando ao uso correto para, então, conferir ao texto uma boa progressão de ideias.
  • Elaborar uma proposta interventiva que esteja associada à discussão proposta no texto, além de completa, contando com os 5 elementos necessários (agente, ação, meio, efeito e o detalhamento de um dos elementos citados).

Para que o texto não seja zerado, é necessário ter atenção às situações que levam à nota zero e, então, evitar essas ocorrências. Elas são:

  • Redação em branco: redações em que não há nenhum tipo de marcação de texto verbal ou não verbal são avaliadas como “redação em branco”, sendo atribuída a nota 0 a elas.
  • Linhas insuficientes: redações escritas em apenas sete linhas ou menos recebem nota zero por “linhas insuficientes”. É preciso, portanto, escrever, pelo menos, oito linhas.
  • Fuga total ao tema: para uma abordagem completa, é importante que todos os elementos da frase temática (ou sinônimos) estejam dispostos no texto, evitando, assim, a anulação por fuga ao tema.
  • Fuga total ao gênero: deve-se ter em mente que o tipo textual solicitado pelo Enem é dissertativo-argumentativo, sendo assim, é necessário que a sua redação contemple esse gênero e apresenta as três partes que o compõem, sendo elas a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.
  • Trecho desconectado: trechos ou expressões que indiquem falta de respeitabilidade para com a redação, que vão contra a situação comunicativa da dissertação-argumentativa ou que estejam em desconexão com o tema/projeto de texto, como palavras impróprias ou ofensas, zombaria, identificação do aluno no texto, recados deixados para o corretor e outros, levam à nota zero. É preciso, portanto, que essas situações sejam evitadas.
  • Plágio: redações com menos de 7 linhas autorais, isso é, em que o texto é majoritariamente composto por cópia de trechos da coletânea são zerados por plágio. Isso significa que, apesar de não ser um problema usar dados da coletânea, cópias integrais desses textos podem prejudicar a nota da redação.

Os participantes devem ficar atentos às competências que serão exigidas do texto:

  • Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.
  • Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.
  • Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
  • Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
  • Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

A redação é corrigida por pelo menos dois corretores, de forma independente.

Cada corretor atribui uma nota entre 0 e 200 pontos para cada uma das cinco competências exigidas. A nota total de cada corretor corresponde à soma das notas atribuídas a cada uma das competências.

Cada um desconhece a nota atribuída pelo outro. Se a discrepância das notas for superior a 100 pontos, no total, ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro professor fará a correção. A nota final da redação é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

Publicidade

A aplicação do Enem 2023 seguirá o horário de Brasília:

  • Abertura dos portões - 12 horas
  • Fechamento dos portões - 13 horas
  • Início das provas - 13h30
  • Término das provas 1º dia - 19 horas
  • Término das provas 2º dia - 18h30