PUBLICIDADE

True crime: 3 documentários e um podcast sobre histórias reais que ganharam força após viralizarem

É comum que histórias de crimes fiquem famosas depois que um documentário ou podcast as traga à tona, mas essa lista mostra acontecimentos reais que foram moldados justamente pelo fato de terem se tornado virais; saiba onde assistir ou ouvir

Por The New York Times

THE NEW YORK TIMES - Hoje em dia, é comum que uma história de true crime (”crime real”) viralize, mas esse interesse geralmente ganha força somente depois que uma investigação, documentário, podcast ou conversa online traga à tona uma saga até então desconhecida.

Para essa lista de produções disponíveis no streaming, quis escolher histórias que, de certa forma, já eram virais e nas quais que esse burburinho foi essencial para a história em si, alterando ou moldando os eventos incomuns. Aqui estão quatro opções memoráveis:

The Hatchet Wielding Hitchhiker (Filme documentário)

Caleb McGillvary, conhecido como Kai, pode ter sido um dos primeiros “milkshake ducks”, um termo usado nos Estados Unidos para designar uma pessoa anônima que encanta a internet, mas que acaba caindo em desgraça.

PUBLICIDADE

Em 2013, ele foi entrevistado para um segmento de notícias em cena no qual contou como interveio para impedir um crime enquanto pedia carona em Fresno, Califórnia. O vídeo, no qual ele é chamado de “Kai, the Homeless Hitchhiker With a Hatchet” (”Kai, o caroneiro sem-teto com um machado”, em tradução livre), rapidamente se tornou viral, e McGillvary - um vagabundo excêntrico, carismático e pateta - foi aclamado como herói.

Rapidamente veio uma enxurrada de memes e aparições na televisão - incluindo uma participação no programa Jimmy Kimmel Live! - bem como conversas sobre a possibilidade dele ter seu próprio reality show. Mas os bons tempos não duraram muito. Alguns meses depois, ele foi preso sob a acusação de ter matado um homem em Nova Jersey.

Este documentário da Netflix de 2023, da diretora Colette Camden, analisa a fama de McGillvary na internet, as consequências subsequentes e seu julgamento por assassinato. Ele também serve como uma espécie de cápsula do tempo, capturando o ritmo frenético e o humor inconstante da cultura da internet americana em meados da década de 2010. DISPONÍVEL NA NETFLIX

Crime Analyst: The Murder of Gabby Petito (Podcast)

Desde abril de 2022, Laura Richards, ex-analista comportamental criminal da New Scotland Yard e apresentadora do podcast Crime Analyst, lançou 22 episódios dedicados ao desaparecimento e assassinato de Gabby Petito, uma influenciadora da #vanlife (que significa viver em um automóvel) de 22 anos que estava em uma viagem de verão pelos Estados Unidos em 2021 com seu noivo, Brian Laundrie, quando desapareceu.

Publicidade

Laundrie voltou da viagem sozinho em 1º de setembro de 2022; em 19 de setembro, os restos mortais de Petito foram encontrados. Em outubro, Laundrie foi encontrado morto por um tiro aparentemente autoinfligido; perto de seu corpo havia um caderno no qual ele confessou o assassinato, de acordo com o FBI.

O interesse das redes sociais explodiu no período entre o desaparecimento e a descoberta do corpo. Detetives amadores vasculharam as fotos e os vídeos do casal no Instagram e no YouTube em busca de pistas, e a especulação correu solta no TikTok, Instagram e Twitter. Nesse caso, o interesse pode ter ajudado a levar as autoridades ao corpo de Petito.

Dada a natureza do crime, Richards, que é especialista em violência doméstica e sexual, está especificamente qualificada para analisar as questões que levaram ao assassinato - incluindo o encontro do casal em agosto com a polícia, que foi registrado em imagens de câmeras corporais, em resposta a uma denúncia de “problema doméstico”.

Cena do Crime - Mistério e Morte no Hotel Cecil (Minissérie documental)

Não poderia haver um cenário mais notório para essa história do que o Cecil Hotel, no centro de Los Angeles. Construído na década de 1920, seu passado conturbado gerou mitos urbanos e histórias de atividade paranormal, bem como alegações de que o serial killer Richard Ramirez se hospedou lá durante sua onda de assassinatos em meados da década de 1980.

Cena da série documental 'Cena do Crime – Mistério e Morte no Hotel Cecil', da Netflix. Foto: Netflix/Divulgação

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

Em janeiro de 2013, Elisa Lam, uma canadense de 21 anos, hospedou-se no Cecil e desapareceu pouco tempo depois. Enquanto ela ainda estava desaparecida, o Departamento de Polícia de Los Angeles divulgou imagens perturbadoras da vigilância do hotel que mostravam que ela estava agindo de forma errática e se movendo estranhamente antes de seu desaparecimento - apertando vários botões em um elevador, onde ela parecia estar se escondendo de alguém ou de alguma coisa. A gravação rapidamente viralizou e, assim como no caso de Petito, não demorou muito para que vários detetives virtuais criassem teorias sobre o que havia acontecido.

Para aumentar a especulação, a presença ativa de Lam nas redes sociais incluía um blog e uma página no Tumblr, nos quais ela compartilhava detalhes sobre sua luta contra doenças mentais. Após seu desaparecimento, suas páginas acumularam seguidores determinados a desvendar o mistério.

Essa série da Netflix de 2021, dividida em quatro partes, não trata apenas do que aconteceu no hotel, mas também do que pode acontecer quando nossa imaginação coletiva corre solta. DISPONÍVEL NA NETFLIX

Publicidade

Pepsi, Cadê Meu Avião? (Minissérie documental)

Se você estava minimamente conectado às conversas sobre cultura pop em meados da década de 1990, provavelmente se lembra de ter ouvido falar do jovem que estava processando a Pepsi pelo que poderia ser descrito simplesmente como propaganda enganosa.

Em 1996, a Pepsi veiculou um comercial para promover seu programa Points: juntar pontos de produtos e trocá-los por prêmios, como um chapéu por 60 pontos. Só que esse anúncio mostrava um estudante pousando um avião de caça no gramado de sua escola. Na parte inferior da tela, as palavras “Caça Harrier 7.000.000 Pontos Pepsi” apareciam sem letras miúdas.

Mal sabia a Pepsi que John Leonard, um ambicioso estudante universitário, estava pronto para fazer as contas e conseguir uma grande ajuda para fazer acontecer. “Eu realmente vi aquilo como uma oportunidade de mudar meu mundo”, diz Leonard no filme.

Essa série leve de quatro episódios da Netflix de 2022 explora a batalha legal, Leonard v. Pepsico, Inc., e os esforços que todos os lados fizeram para defender seus casos. A história tem como pano de fundo as guerras de refrigerantes da época (até mesmo Cindy Crawford, cujo anúncio da Pepsi de 1992 se tornou lendário, aparece neste documentário). Tudo isso pode ter acontecido um pouco antes da era da internet, mas foi uma história tão viral quanto qualquer outra hoje em dia, e que alterou para sempre a publicidade. DISPONÍVEL NA NETFLIX

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.